Abraço do Sol

Posted By: Admin System In: Contos e Histórias On: Quinta, Julho 30, 2015

Cheguei a este país da saudade com uma mochila quase vazia. Fiz o check-in; percorri um caminho de nuvens agitadas; deixei o suor do trabalho marcado num assento cinzento e segui caminho, tal como planeado, por uma estrada de água até esse Douro Valley, sobre o qual já tanto ouvira falar.
Um dia, depois de deixar o alarme ligado, dirigi-me, como sempre, para o meu emprego. Vi todos os e-mails e marquei a minha viagem numa agência on-line.

Agora que ouvia as descrições da guia sobre a mais antiga região vitícola demarcada e regulamentada do mundo, sentia-me bem mais leve, embrenhando-me, cada vez mais, na paisagem verde com pinceladas douradas.

Sinto-me renovado. Vejo-me refletido nos rostos das crianças sorridentes que correm atrás das mães, apesar do ar quente propício ao descanso. Encosto-me numa sombra para escutar as nascentes de luz que incidem sobre a terra e o xisto, tornando-a ideal para receber o produto do trabalho árduo destas gentes que parecem saber viver numa calma profunda, sem nenhum pensar que as atormente. Contudo, um olhar mais atento perceberá que não é bem assim. As preocupações também estão lá, dentro dos olhares mais carregados.

Ainda tenho muito para fazer e visitar durante esta viagem. No meu bloco, a conselho dos meus amigos, estão apontados alguns dos locais a não perder: uma visita a uma quinta para provar o néctar que aqui se produz; uma viagem no comboio histórico; uma visita à aldeia de Ucanha e a tantas outras aldeias vinhateiras que estou desejoso de conhecer. Neste momento, tudo me parece maior do que eu e o abraço desta paisagem é tão terno e quente que me faz recordar os abraços da minha mãe.

Conto ficcional baseado em factos verídicos. Texto extraído do livro "Douro - Viagens e Histórias"